Adoro a Dita Von Teese.  A musa do burlesco soma facetas, no mínimo, excêntricas: ex-mulher do freak Marilyn Manson, faz apresentações únicas, encarna o lado pin-up fetichista e prega a liberdade autêntica.

Dita foi três vezes capa da Playboy, já desfilou para Gaultier, escreveu dois livros – um sobre o burlesco e outro sobre fetiche -,  foi embaixatriz da MAC e tem uma linha de lingerie (inspirada nos anos 40) que será lançada pela Wonderbra. E para brindar, agora ela é a garota proganda da marca francesa Cointreau.

Para celebrar a novidade, além da criação do coquetel “Cointreau Teese” (que terá toques de violeta entre os ingredientes), Dita apresentará um show, segundo ela, dos mais extravagantes de todos que já fez, quando usará uma roupa inspirada nas cores e história da marca, com 350 mil cristais swarovski bordados. Tá bom pra você? 

Em entrevista a Cosmopolitan, Dita disse que “não há nada mais sexy do que ser você mesma”, o que pode ser clichê, mas soa um ligeiro recado quando publicado em uma revista que prega a cópia do modelo padrão, ainda que exija sacrifícios e mudanças radicais. Em entrevista ao JC Report, quando perguntada sobre o que nela inspira tantos designers, ela respondeu:

“Most of them know that I’m self-styled, and there’s an appreciation for that. Women in Hollywood are too afraid: they don’t want to style themselves, and they’re not really choosing for themselves. It’s all about hiring stylists that will help them land on the best-dressed lists. I’m not really interested in being on the best-dressed list. I like to be on the worst dressed too. It’s a fantastic place to be, and I’m in good company if I’m there.

Adoro.

Anúncios