Alguns desejos se tornam pequenos e realmente mundanos quando eu penso em viagens e suas portas. Principalmente, quando penso em momentos que eu queria ter beeem longe de casa, em ruas desconhecidas. Me senti distante demais de vontades natas e muito pequena, dentro de uma conchinha, vendo essas fotos tiradas em momentos de aurora boreal, quando as partículas elétricas dos ventos solares colidem com o campo magnético da terra e criam, no céu, cores que nunca photoshop nenhum vai reproduzir. Precisa-se ver ao vivo. Sem truques. E no silêncio.

glow por Dalla*.
Essa foto eu peguei nesse Flick

Aurora Borealis over Reykjavik por unneva.
Mais flickr

November Aurora por orvaratli.
E mais

Northern lights 16 por Island_Kerstin.
E aqui

Northwestern Sky por Mark Kelly Photography.
E aqui 

Já essas abaixo foram tiradas por Mark Humpage, no  Círculo Polar Ártico. O fotógrafo ficou seis dias capturando esses surrealismos, numa temperatura de -20 graus.  Dá uma olhada no post dele sobre a viagem.

As cores da aurora podem variar: ela pode ser toda de uma cor ou aparecer com cores misturadas. Mas, as mais comuns são o verde e o vermelho. 

Inspirador, o fenômeno é muito citado na mitologia nórdica e em livros que descrevem as luzes como espíritos elevados ou estrelas com potencial destrutivo. Na Bíblia, o fenômeno aparece em um trecho do Livro de Ezequiel.

Para saber mais: http://pt.wikipedia.org/wiki/Aurora_boreal

Anúncios