oprah

Gente, eu amo a Oprah. Fico realmente feliz quando acordo e ainda dá tempo de ver um trechinho antes de ir pro trabalho.  Acho incrível como ela pega um tema e realmente o destrincha, de vários ângulos, convidando pessoas de áreas diferentes, envolvendo platéia, fóruns na internet, relatos pessoais…  Considero o único talk show popular que não é banal, nem sensacionalista.

Hoje vi um especial, dividido em subtemas, sobre beleza com o Dr. Oz. Apesar de achar tudo que ele fala curioso (e acreditar, já que Oprah assina embaixo), acho ele chato, afobado, vaidoso além da conta e muito mecânico. Mas, bizarro mesmo foi assistir a um dos capítulos do especial, onde uma mulher reclamava de queda de cabelo. Eis que, na tela, aparece uma imagem dela, há duas semanas, ok. E agora, desbastada.

Daí, o Dr. Oz vai e fala, na lata, enérgico, algo como:

“É óbvio que essa queda acentuada não é normal e tem um motivo. Ela fez exame de sangue e já sabemos que, além de uma alergia, ela tem um tumor na cabeça, que estamos estudando melhor para vermos o tamanho e diagnosticarmos os melhores tratamentos. ”

Cara, engoli seco.

E ele, falando isso tudo com aquela cara de quem diz: “passa o sal, querida.”

E a mulher, em close, com um sorrisinho indecifrável.

E eu com cara de ponto de interrogação, olhando para a Oprah e pensando: gente, só eu que estou chocada?

Oprah acho que olhou pra mim, entendeu tudo, compartilhou do momento e, por isso ,disse uma coisa tipo:

“Só um parentêses, Dr. Oz. Gostaríamos de dizer que ela foi avisada antes sobre esse diagnóstico que Dr. Oz acabou de nos dar. Claro que não daríamos esse parecer ao vivo, sem antes ter conversado com ela e explicado tudo o que estamos explicando, assim como os tratamentos e tudo o mais. Não somos malucos“.

Pensei: eu e você não somos, Oprah.

Mas, Dr. Oz é.

oz

Medo.

Oprah ainda insistiu um pouco mais no assunto, querendo amenizar o clima e falando que, pelo que os exames indicavam, o tumor não era grave. Oz tentou segurar a onda também, dizendo que mais exames estavam sendo feitos e que tudo indicava que o tumor poderia ser tratado com remédios e sem cirurgias. E concluiu dizendo: se há alguma coisa errada com seus cabelos, fatalmente algo está acontecendo.

Quando pensei que tudo estava ok, ele arremata: ” não vê a quimioterapia? Logo age sobre os cabelos. Mas, que bom então que você, querida, fez o exame. Assim pudemos detectar o que tinha de errado com o seu corpo.”

(ai)

E eis que, para fechar com la llave de oro, a mulher, sem graça e claramente nervosa – com respiração ofegante, olhar estático e sorriso idem – olha para a câmera, mostra mais os dentes no sorriso esquisito e diz: “foi ótimo fazer o exame.  é, estou super feliz.”

?

Enfim, eu se fosse a mulher, tinha arrancado os cabelos do Dr. Oz.

Ao vivo.

Na Oprah.

Anúncios