Eu não gosto de ir ao salão. Acho um saco ficar ali sentindo aquele cheiro de cabelo queimado, vestindo uma capa que torna a gente um monstro e ainda por cima, ficando embaixo de uma luz que não valoriza nem Gisele.

Então, quando vi essas fotos, logo pensei que para cortar o cabelo num salão assim, eu reveria meus conceitos:

salon

salon4

salon2

salon3

As fotos são do Reuben Wood Hair Salon, em Manchester, que foi decorado por Peter Masters, do Burned Toast Design.

Atrás dos espelhos curvos, ficam as parafernálias do dia a dia de um salão. Assim, o ambiente fica menos poluído, menos tumultuado. Os espelhos da mesa azul são móveis, o que permite flexibilidade na decoração, também.

Olhando esses pontos de luz no ambiente clean e ao mesmo tempo vibrante, eu logo penso que, sentada ali, esperando a minha hora de cortar o cabelo, eu tomaria um delicioso café acompanhando de chocolate com menta e ganharia para ler, na recepção, uma I-D, uma Numéro, uma Nylon. Nada de Caras, Contigo ou Quem.

Ai, ai…

Isso sim seria uma “experiência”, como o marketing pede e cobra.

Anúncios