Outro dia estava com amigos e falamos sobre o declínio da GAP e de como era ruim você ver marcas tão fortes sumirem, não alcançarem a necessidade de mudanças urgentes e vitais decorrentes de comportamentos emergentes e de um cenário onde a concorrência só aumenta.

Depois do boom das marcas fast fashion, que vieram trazer a moda por preço acessível e as  novidades nas araras o tempo todo, quem não se ligou, foi engolido pela H&M, Top Shop, Zara.

Recentemente, quem tem se destacado muito é a japonesa Uniqlo, que pode ser comprada a uma nova GAP e já está presente – além da terra do sol nascente – no Reino Unido, Estados Unidos, China, França, Coréia e Cingapura.

uniqlo2

Philosophy que está no site da Uniqlo

As peças da Uniqlo são “made in China“, daí o preço totalmente agressivo: as camisetas custam u$19 e os jeans, U$49. Somado ao preço, temos o marketing super agressivo, com campanhas usando personalidades e muita mídia em TV e revistas.

uniqlo

Por trás disso tudo, está Tadashi Yanai, 60 anos, que comanda o grupo Fast Retaling, dono de 7 marcas no total. Yanai tem, 30% dos papéis do grupo e soma, atualmente, uma fortuna pessoal de U$6,1 bilhões, o que o faz ocupar o 10 lugar numa lista dos CEOs mais ricos do mundo. “Em alguns anos, esperamos ser uma marca internacional, maior que a Gap, a Zara ou a H&M”, disse Yanai para a Exame.

Anúncios