Vi hoje no aGEMda um dos quadros de Marcus Vinicius e o queixo caiu no chão. Achei forte, vivo. Eu não entendo de arte, mas, como a Elle diz: arte não é para entender, é para emocionar. Aprendi e uso isso como definição para admirar, sem rédeas, o que vejo como belo, sem ficar presa a estudos, análises, críticas ou outras coisas que, no fundo, podem dar valor à obra e te deixar a par de um pedaço de história, mas podem continuar sem, emocionalmente, fazer sentido para você.

marcus viniciusDa série “Quadros Tradicionais”

marcusviniciusexpojpgDa série “Livros”

No seu trabalho, ele usa recortes de MDF e vidro. Na série Livros, os objetos ficam na horizontal, sobre pedestais. As obras têm dobradiças que permitem o manuseio, criando uma sequência de imagens disformes. Conforme a pessoa abre as partes, os objetos se dilatam e se desdobram.

Lindo.

Anúncios