Eu adoro bibliotecas: o silêncio de contemplação ao templo da leitura, o respeito a quem se concentra nas palavras, o fato de poder folhear tantas obras importantes, a infinidade de assuntos. O ideal é deixar o fator tempo espalhado pelas prateleiras, sem pressa.

Com a proliferação de livrarias-café, estas ganharam um pouco essa aura do espaço para leitura. Mas, claro, num mundo capitalista, se você sentar em uma mesa e não pedir consumir nada, fica “feio”. Ou seja: ainda é mais confortável ler em uma biblioteca, onde você pode chegar no primeiro horário, ir embora na hora que fechar e simplesmente passar o seu dia lendo livros disponíveis para todos.

Vi um post sobre a exposição Temples du Savoir, no blog do Henrique Manreza, fotógrafo dos mais sensíveis que já conheci. As imagens,  de Ahmet Ertug,  retratam bibliotecas históricas da Europa Ocidental e ficaram expostas na Biblioteca Nacional da França, este ano.  Os espaços são incríveis.

Biblioteca Angelica, Rome, ItalieBiblioteca Angelica, Roma

Annexe de la Bibliothèque du Sénat, Paris, FranceAnexo da Bibliothèque du Sénat, Paris

Bibliothèque de l’Abbaye d’Admont, AutricheBibliothèque de l’Abbaye d’Admont, Autriche

Bibliothèque de l’Abbaye de Saint-Florian, AutricheBibliothèque de l’Abbaye de Saint-Florian, Autriche

Bibliothèque de l’Abbaye de Saint-Florian, AutricheBibliothèque de l’Abbaye de Saint-Florian, Autriche

Bibliothèque de l’Abbaye de Saint-Gallen, SuisseBibliothèque de l’Abbaye de Saint-Gallen, Suíca

Dá pra ser perder nas palavras e nas horas, não?

Anúncios