O primeiro filme do ano foi Julie and Julia: leve e perfeito para primeiros dias, como hoje, onde tudo o que você deseja é que as coisas dêem certo e sejam melhores.

Meryl Streep está imbatível como a cozinheira Julia Child, que, casada com o embaixador Paul, se muda para Paris. Lá, entediada com a vida de dona de casa, termina se inscrevendo em um curso de gastronomia na Cordon Bleu e fazendo do amor pela comida sua profissão.

As suas receitas terminam se tornando um livro (com colaboração de mais duas amigas cozinheiras) e é este livro que inspira, anos depois, uma reviravolta na vida de Julie, desanimadíssima com o dia a dia de atendente de uma agência de seguros ligada ao 11/09. Apaixonada por comida e influenciada por tudo que leu e viu sobre Julia, ela se propõe um desafio: fazer todas as 524 receitas do livro, em um ano, e relatar essa sua incursão na culinária em um blog.

Aos poucos, os posts começam a ter comments e Julie começa até a receber condimentos e iguarias em casa, enviadas por leitores fiéis. Em alguns meses, ela está dando entrevistas para o New York Times, recebendo ligações de editoras e vendo sua vida realmente ganhar significado.

O melhor de tudo? A história é real. O blog está aqui. E o livro, chamado Mastering the Art of French Cooking, e originalmente publicado em 1960, já foi reeditado 49 vezes.

Um dos manuscritos de Julia Child

Quer melhor maneira de acreditar que tudo pode ser melhor?

Anúncios