Ser ecológica é, antes de tudo, ter hábitos individuais pensando no coletivo. E, como todo hábito, requer treino, consciência e aprendizado, por isso, tudo ainda é tão difícil de ser assimilado e transformado em práticas no dia a dia.

Lendo hoje a Galileu, intitulada O Futuro da Comida, parei para pensar nela como item a contribuir ou não com a preservação ambiental. E não o que é feito com os resíduos que não são consumidos ou embalagens delas e, sim, sobre o quanto de energia é gasto para se comer um bife, por exemplo. Sim, um bife. O gasto energético, desde a criação e recursos naturais necessários, até o combustível gasto no transporte para que ele chegue até nós, é imenso. Coisas sobre as quais não paramos para pensar, até porque não nos é dada ainda tanta informação a respeito…

Alex Atala na capa da Galileu

Leia um trecho da matéria aqui.