Conheci há um pouco mais de um mês a Tulipa Ruiz e estou in love com o CD dela, Efêmera. As músicas são divertidas, leves, kitsch e Tulipa tem uma cacterística – essencial – que já a põe numa posição muito à frente de muitas “novas cantoras” que vemos por aí: identidade. Ela fez show há pouco no Rival e lamento não ter podido ir. No próximo, estarei lá.

Dá vontade de decorar todas as letras para poder cantar junto…