Anda difícil eu ver alguma coisa na moda que me instigue a ser comprada e, acima de tudo, a permanecer no guarda-roupa por muitos anos. Estava conversando isso outro dia com uma amiga num papo que foi desde a experiência de compra refletida no ambiente e a escolha da roupa em si até o atendimento que te faz ter a certeza de que ali valeu você investir um pedaço do seu dinheiro. Mas, acima de tudo fica a vontade de ter uma peça que te faça sentir especial, diferente, como um convite a construir uma nova história. Hoje, quando compro uma peça quero que ela seja uma daquelas que tenho pena de me desfazer, mesmo quando já está velhinha, velhinha…

Hoje, adorei ser surpreendida por A morte de Jacinto, marca de RN, que desfilou pela primeira vez suas criações, em novembro, na Casa de Criadores. Primeiro, já fiquei curiosa por conta do nome, que vem da mitologia. Quando entrei no site, já fiquei in love pelos ótimos looks que são apresentados de maneira muito bem amarrada (o que é um desafio). Terceiro, por conta da unidade da coleção, feita de peças aparentemente simples, com toques de de alfaiataria – o que garante um ar cool e eterno. A estética tomboy da coleção gira em torno de um personagem-tema que todos conhecemos: Olivia Palito, a menina divertida e longe de estereótipos, que causava disputas apaixonadas…

Adorei. Só falta agora vender aqui no Rio….