A tendência étnica vira e mexe aparece nas passarelas. De fácil apelo e rica em interpretações para o vestuário, é do tipo que agrada aos brasileiros e atrai a curiosidade dos estrangeiros. A nossa relação vem da identificação imediata com cores fortes e menções à natureza. O tema é rico e, portanto, abre mil janelas para leituras distintas. As referências podem ser – e são – várias: Amazônia, África, Ásia ou até índios Cherokee. Mas, seja qual for o olhar sobre o tema, o resultado é forte, sensual, místico e intrigante.

Nesse verão 2012, várias marcas lançaram apostas sobre ele e apresentaram padrões geométricos, mix de estampas e cartela de cor intensa para pontuar a tendência. Ao contrário dos anos 80, quando o visual era sinônimo de safári-classudo e muita pose, hoje o étnico aparece como referência das antenadas, misturado à influência do rock anos 70 e do boho, como vimos em looks desfilados em festivais como Coachella e Glastonbury.

A Teca apostou na estamparia tribal e cores fortes

Espaço Fashion tem como tema Paraíso e busca no essencial os pequenos paraísos perdidos e imaginários de cada um

O requinte deluxe da Santa Ephigênia

Victor Dzenk: cartela de cores imensa e mistura de prints

No dia a dia aposta fica na mistura de peças étnicas com casuais (como t-shirts lisas, botas ou jeans), de maneira descompromissada, como nesses looks do lookbooknu. Acessórios como colares grandes e pulseiras coloridas, assim como franjas de couro ou de seda fazem parte da vibe. Prints de cobra vieram com tudo e parecem que vão, pelo menos nessa temporada, substituir a oncinha.

Mix de cores e prints em looks pro dia a dia

Inspiração nos índios Cherokee nas t-shirts must-have da Urban Oufitters

Os dias mais quentes ficarão mais interessantes…