Quando li Mate-me, por favor e, depois, quando comecei a ler mais sobre Warhol, um nome ficou ecoando na minha cabeça: Chelsea Hotel. Em Só Garotos, a diva Patti Smith fala mais sobre esse espaço que antes era apenas um nome sonoro e sugestivo na minha cabeça e o que já me gerava curiosidade…só aumentou.

O Lobby do Chelsea em 1972 - foto de Carter Tomassi

O Chelsea foi fechado para hóspedes no último dia 30/07. O hotel estava sendo negociado por U$80milhões, mas seu rumo ainda é indefinido e não divulgado. Os 100 moradores permanentes poderão permanecer no local, mas nem eles sabem que fim a história toda levará. Vale lembrar que o hotel é dos mesmos donos desde a segunda guerra e que se, antes os quartos eram baratos, a diária  já estava em torno de U$300.

A imensa fachada

A escada de ferro percorre os 12 andares, que têm paredes cobertas por trabalhos artísticos de quem se hospedou por lá

Em Só Garotos, Patti conta como estar lá era o suficiente para fazer parte de uma cena efervescente novaiorquina que se reunia no lobby, quartos e escadas do hotel, dia e noite. Ela conta como morar ali soava como um presente divino, depois de ter morado com Robert Mapplethorpe em casas de amigos, muquifos sem luz ou com encanamento resumido a uma gota caindo da pia (onde as roupas eram lavadas).

Como ela conseguiu um quarto no tão falado e movimentado Chelsea? Pedindo, na cara de pau, ao dono Stanley Bard, que era, a meu ver, um mecenas. A história que ela contou para ele era tão boa que lhe rendeu uma chave. Apostando nos novos talentos, Stanley terminou fomentado inspirações pelos corredores ao hospedar, de graça ou por valores super baixos, artistas que não tinham grana. Lá, Patti conheceu Janis Joplin, William Burroughs, Ryan Adams, Jimi Hendrix e Bob Dylan.

De um lado, Patti e Robert e, do outro, Ryan Adams

Passaram por Chelsea muitos outros nomes, como Sid e Nancy, Leonard Cohen, Robert Crumb, Mark Twain, Tennessee Williams, Jack Kerouac, Stanley Kubrick, Milos Forman, Arthur Miller, Sam Shepard e Dee Dee Ramone.

Placas homenageando quem passou por lá

Nos quartos, muitos projetos foram criados. Bob Dylan escreveu músicas pro seu álbum Blonde On Blonde, no quarto 211. Arthur C. Clarke escreveu, no quarto 614 o clássico 2011: Uma Odisséia no Espaço. Lá, Andy Warhol filmou Chelsea Girls. Muitos artistas e bandas – The Stooges, Jefferson Airplane, Patti Scialfa, Joni Mitchell, Jim Carroll -, ainda citariam Chelsea em letras.

Vale ver essa entrevista com Stanley, que foi afastado em 2007. Dá para entender porque o Chelsea virou O Chelsea:

Também rola um doc, chamado Chelsea Hotel, que pode ser visto no youtube. Olha a primeira parte:

Mais sobre: AQUI e AQUI.

Acho que isso é mais que suficiente para me fazer querer passar, pelo menos, uma temporada por lá…não?