Há alguns anos, achei uma Olivetti no lixo do corredor. Fiquei super feliz. Esse ano, quando quis usar a bichinha na decoração nova, minha mãe disse: “ih, você queria aquela máquina…?” Pois é. Ela voltou ao lixo e eu fiquei na vontade. No meu imaginário, a máquina faz parte de cenas nelsonrodrigueanas e redações de jornal cheias de fumaça de cigarro.

O fato é que Olivetti virou sinômino de qualidade e muito porquê o design dela era incrível! E esse ano, faleceu a pessoa por trás dessa história toda, o suíço Walter Ballmer, que não só criou a logo, como foi responsável pela parte gráfica, de marketing (são deles as campanhas e pôsteres promocionais da marca) e até industrial, entre 1956 e 1970.


Fui pesquisar sobre ele e vi que ele tem vários trabalhos bacanas e super atuais, como todo bom desig er. Walter ganhou vários prêmios, entre eles: Compasso d’Oro (1954), melhor pôster suíço (1961), Swiss National Exhibition (1964 e 1971) e medalha de ouro pela identidade visual da Olivetti, na BIO 5 em Ljubljana (1973) . O designer trabalhou para várias empresas, como Fiat, Pirelli, La Roche e, na moda, para o Valentino e para a loja de departamentos espanhola Wertheim.

Olhas essas logos se não são de babar…


E esse material aí embaixo? De chorar de lindo…