Sempre acreditei na moda como meio de comunicação e por isso leio e estudo o que posso sobre arte, comportamento, história, beleza e até psicologia e linguagem corporal. Adoro ver uma coleção feita com emoção e criatividade, vestindo diferentes pessoas, que são sensibilizadas por algo além de um tecido ou uma cor, mas por um conjunto de sinais e significados. É uma visão romântica, mas é esse cuidado em ser fiel à essência – que eu sei mesmo que é muito difícil com todos os desafios comerciais e ruídos do entorno e opiniões equivocadas – que me seduz, da mesma maneira, até hoje, nesse universo amplo e, ao mesmo tempo, tão restrito em alguns momentos.

Acho que com o tempo, com a idade, a gente tende a simplificar. As firulas ficam sem graça – viram firulas – e o foco é mais claro. Pizza de mussarela, sem catchup. Água. Hamburger sem molho especial. Camiseta preta, sim, por favor, e lisa. E um jeans raw. Com uma sapatilha flat. E essa edição natural dos sentidos faz a gente se aproximar mais do que é real, confortável e, por isso, verdadeiro. Seja o que isso signifique para cada um. Vale lembrar que não há regras (a camiseta preta e básica minha não é a sua. Fato).

Por conta disso tudo e mais alguma coisa, tem uma marca que tem me puxado pelos pés e pelas mãos: Fernanda Yamamoto. E isso acontece tanto pela inteligência das modelagens certeiras, quanto pela fidelidade em manter uma essência em todos os espaços da marca: proposta de coleção, passarela, escolha do local para a loja (Vila Madalena), curadoria do pdv (na loja são vendidas peças de outras marcas), programação visual, VM e atendimento.

A estilista começou no Rio Moda Hype e está no SPFW desde 2010. Suas maiores características são a modelagem incrível (vale lembrar que ela já trabalhou com Herchcovitch e Jum Nakao), a escolha de tecidos, que são misturados e trabalhados de maneira única, e os vários beneficiamentos especiais. A coleção inverno 2012 tem como tema as pinturas do Renascimento. Olha que bacana:

A coleção atual (verão 2012) tem como tema Raízes e trouxe uma parceria da estilista com a Hello Kitty/Sanrio. Quando soube disso, pensei: “gente, que solução ela vai dar?” Bom, missão anunciada, missão bem solucionada. E já tenho um exemplar aqui no meu guarda-roupa que ainda não é um closet dos sonhos, mas… tem os desejos que posso desfilar por aí.

na passarela...

...e na loja