Quem me conhece, sabe que não como nada do mar. Nada. Nem peixe, nem frutos, nem as algas. Sim, claro que já me chamaram de japonesa fajuta, nipo-paraguaia e tudo o mais. Então, quando o Circulador foi chamado para ir ao Manekineko, topei e pensei: ótimo, vou fazer um post sobre como ir ao japonês sem comer nada do mar.

Bom, escolhi o de Ipanema, que é super iluminado e tem uma área aberta super agradável. Ótima pedida para um domingo de sol, pós-praia.

Pedimos de entrada as deliciosas estrelinhas de queijo coalho, recheadas de cebola confit e ervas. O molho de laranja e zest de limões era dos deuses…

A atendente, super atenciosa, nos ofereceu para experimentar um novo prato: tartar de salmão com beiju. André aceitou. Eu me arrisquei, provei e… acredita que gostei?

Bom, mas como não é bom abusar, voltei para o meu território não aquático e pedi o shitake hot roll: enroladinhos na casquinha crocante com recheio de shitake, cream cheese e cebolinha. Delícia…

Para o prato principal, pedi o yakisoba de carne (que sempre me faz feliz). André pediu peixe branco em crosta de macadâmia e ervas, acompanhado de purê de baroa e suave molho de pimenta. A cara – do prato e dele – estava ótima.

Para fechar, o sushi crumble de maçã: pedaços cozidos da fruta ao caramelo, envoltos em folha de arroz, com sorvete de vanilla e farofa doce crocante. Ai…

Bom, já viu que dá pra ir no Manekineko mesmo sem comer peixe, né? (No meu caso, ainda provei e gostei…fato inédito).

Então, pra você poder comprovar, como eu comprovei, vai rolar uma promo no facebook valendo um voucher de R$100 para se deliciarBasta curtir esse post por lá e seguir também o face do Manekineko. O sorteio será via random e o resultado sai amanhã, segunda-feira, final do dia.