Andando em Copacabana, onde existe de um tudo (mesmo!), me deparei uma vez com uma menina linda, fantasiada de Branca de Neve. Automaticamente, uma amiga minha comentou: “impressionante o poder da Branca de Neve…passam décadas e ela continua referência para as meninas“. E é verdade. Contos de fadas sempre seduziram as meninas. E as adolescentes. E as adultas. Então, qualquer coisa que remeta a esse universo automaticamente garante uma passagem para bons sonhos.

Bom, quando comecei a escrever contos, há uns bons 12 anos mais ou menos, conheci a Indigo, que sempre brincou com esse universo. É dela o incrível Caixinha de Madeira, um romance divertido e leve, cuja história gira em torno da descoberta de uma caixa de madeira com correspondências secretas entre Branca de Neve, Bela Adormecida e Cinderela. 

Ano passado, também brincando com os backstages, estreou a ótima série Once Upon a Time, onde vários personagens de contos de fadas histórias infantis – e aí entra até o Chapeleiro Maluco – se cruzam de maneiras diversas, no mundo atual, sem a memória do que já foram um dia.  Olha aqui o trailer da primeira temporada (que acabou e já deixa saudades):