Sensualidade estranha, suave e sombria ao mesmo tempo, como se tirada de um conto infantil refeito para adultos. Silêncio e caos entranhados. Sagrado e profano. Acho que assim que eu entendo o trabalho do russo Vania Zouravliov, que, com 13 anos  já exibia seus traços internacionalmente.

Segundo ele, suas inspirações são a Bíblia, A Divina Comédia, os desenhos antigos de Walt Disney e os índios norte-americanos.