Acredito que todos que trabalham com criatividade precisam ter escapes mais comuns e fundamentais que a maioria dos  mortais. Talvez por isso a maioria hoje dos meus amigos e conhecidos que trabalham com áreas criativas – literatura, moda, música, marketing, design – tem como sonho ter seu próprio negócio. E muitos deles já tomaram esse passo. O principal motivo? Ter controle sobre o tempo e, consequentemente, melhor maturar suas ideias, rendendo muito mais. Hoje, 99% das empresas – ainda as que se consideram demasiadamente livres ou criativas – ainda impõem uma carga horária puxada para qualquer um que vive em um centro urbano em pleno 2012, além de não incentivar projetos paralelos (a começar pela carga que exigem) – ou seja, tudo o que vai contra qualquer fluxo criativo. E tudo que a gente não quer é interromper as inspirações que podem ocorrer às 8h da manhã ou às 11h da noite.

Então, fico feliz quando vejo alguém correndo atrás de realizar seu próprio sonho e entender como é passar para o outro lado e administrar não só o seu tempo, como lidar com o dos outros. O desafio é grande? Claro que é. É fácil? Claro que não. Mas, acho incrível e aposto muito, porque sempre fui das que acredita que toda e qualquer mudança é positiva, desde que ela se torne um aprendizado.

Dei essa volta toda para falar que fiquei muito feliz quando vi  três amigas meterem a cara, o coração e o estômago e montarem suas marcas. A Priscila Amorim montou a Ô (só o nome já não é instigante?). A Raquel Ferraz montou a YES I AM (o nome também é audácia pura, não?) e a Fafi Vasconcellos montou seu ateliê de noivas. O mais interessante é ver que nenhuma enveredou pelo nicho meninas-jovens-que-querem-novas-tendências. Cada uma apostou em uma linguagem e público diferente e cada uma criou uma comunicação para se apresentar.

A Ô foi lançada em um evento no 00, no melhor clima entre amigos. Entre os drinks e a delícia de encontrar conhecidos, um espaço foi dedicado a apresentar, em araras, as peças recém-nascidas – com um mix de materiais impressionante para uma primeira coleção. Ah! Você saía da festa com um catálogo, um moleskine da marca  e se quisesse comprar, era só entrar no e-commerce no dia seguinte. Luxo.

A YES I AM aposta nas peças básicas. Sim, quem não quer uma boa calça jeans e camiseta? Mas, e onde achar? Pronto. Agora você já sabe: na loja online da marca!

Para se apresentar, um vídeo com uma trilha mara:

A Fafi apostou nas Cinderelas urbanas e suas personalidades e desejos distintos para criar vestidos incríveis! No facebook do Atelier, você acompanha todas as novidades.

Inspirador, não? E de verdade.
É empreender para crer.

Ou o contrário?

….