Traços livres, incorretos, agudos e estranhamente encantadores: essas contradições acompanham as ilustrações de João Bastos. Seria tudo carismaticamente lúdico ou arquitetonicamente aflitivo?

Para ver mais, clica aqui.