“- Eu acho você puro sentimento.
– Sério? Eu acho que abraço pouco, falo pouco… fiquei pensando que não sei o que você quis dizer com isso…estranho.
– Acho que você age primeiro com o coração, é seu primeiro impulso. É isso.”

Tive esse diálogo há pouco tempo com um amigo de décadas. Somos brasileiros, latinos, povo acostumado a falar alto, a se meter na conversa da mesa do lado – e opinar – e a receber e dar beijos à lá vonté por aí nas bochechas (e bocas, acontece, né?) de quem mal sabemos o nome. Mas, quando você não é esse brasileiro típico, não é dado a tantas aberturas e extroversões de toques, se assusta com tantas mãos e muitas vezes julgamentos sobre não ser emocional. Para muitos, o afeto tem que ser físico o tempo todo, tem que ser sôfrego, tem que ser em excesso mesmo, tem que ser explícito, porn.  Senão…você é racional. Levanta a mão quem já ouviu isso! –  eu já ouvi muitas vezes e sendo 50% japa e 50% brasileira, logo arranjam uma justificativa no lado nipônico para a seriedade (confundida quase sempre com insensibilidade).

As maiores demonstrações de carinho que já tive foram nada excessivas, mas extremamente sensíveis. Um beijo no rosto enquanto eu estava deitada, sem perceber que a pessoa vinha. Um “<3” na timeline, no meio do dia, de surpresa. Um “trouxe pra você, porque achei a sua cara”. Um elogio no meio de uma frase cotidiana. Um “guardei um pedaço pra você”. Um whats app dizendo “tá melhor?”. Brilhos eternos de mentes com lembranças.

Mas, se eu tiver que escolher um gesto para externar afeto, escolho o universal, claro: o beijo. Fato que ele não precisa de legendas, se aplica a todas as relações e tem o efeito de elevar o humor e o amor. O Kiss Me Please Project fala disso e traz como protagonista Kanna, a filha do fotógrafo Nagano Toyokazu (olha aí, japa, tá vendo?) espalhando kisses por aí.

Kiss me 2_Toyokazu

Kiss me 3_Toyokazu

Kiss Me_toyokazu

Kiss me_4

O projeto traduz isso tudo: como o amor pode ser transmitido e compartilhado entre as pessoas, pelo mundo, de maneira simples. Sem excesso, mas com humor.

“Whether it is a fight between a couple, countries, and people, it is quite possible that everything can be solved with a simple kiss. With this in mind, my second daughter is expressing this idea by kissing different people and things. This project is to show that love can be spread and shared among people. We hope that it would bring peace to the world”, disse ele para o My Modern Met.

PS: Já falei de Toyokazu antes aqui, quando mostrei outras fotos amazing dele.